A FATAL SENHORA

Morte

“Zum, zum, zum… está faltando um!”
(Paulo Soledade e Fernando Lobo)

No meu diálogo com o silêncio do convés,
Falta um céu azul risonho para o meu sol,
Falta um relvado que fugiu dos meus pés,
Falta um sonho que apagou-se no arrebol.

Falta sempre o Alguém pela ampulheta da hora,
Estou sempre órfão e viúvo no portão do jardim.
Estou sempre à espera da invasora fatal Senhora
Que chegará a qualquer hora sem pena de mim.

Dioguinho Fontenelle – Amigo e poeta que dispensa apresentações.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s